Podopatia / Unha Encravada

Unha Encravada

Há algumas décadas que o Pé é objeto de análise, investigação, diagnóstico e terapêutica de variadas patologias que o afetam, motivo que originou o aparecimento de uma nova ciência na área da saúde designada 'Podologia'.
O termo Podologia origina-se do grego arcaico: o prefixo 'Podos', significa pé/pés e o sufixo 'Logos', tratado, estudo, conhecimento. Forma-se então o terno 'Podologia', que é o nome da ciência que trata do estudo dos pés. Podólogo, termo obviamente com as mesmas origens, designa a pessoa que aplica terapia nos pés, com estudo técnico-científico adequado, aprofundado na anatomia, fisiologia, podopatias e conhecimento biomecânico dos pés. Através do Decreto Lei de 1957, a profissão passou a ser considerado como ATIVIDADE AFINS DA MEDICINA.
Vamos descrever a técnica de procedimento podológico em ESPICULAECTOMIA.
Deparo no dia-a-dia com pacientes que apresentam problemas graves em seus pés por descuido ou desconhecimento em relação aos cuidados que se deve ter com eles.
O Podólogo através da técnica denominada Espiculaectomia (remoção da parte da unha que esta encravada), usando instrumentais adequados, é capaz de solucionar o problema facilmente.
Onicocriptose é o nome científico que se dá a unha encravada ou unha incarnada (ungüis incarnatus), resultante da penetração de uma espícula (pedaço de unha) no tecido circunjacente. Em geral, há infecção e formação de tecido de granulação exuberante.
Obs.: Não confundir com Onicofose, que é a calosidade que se forma no sulco ungueal.
As principais causas da Onicocriptose são: Pressão e Traumatismo.
Pressão: é exercida por: Meias (quando pequenas ou grossas, pressionam a pele das bordas ungueais); Calçados (quando justos, estreitos, ou de ponta fina não só exercem pressão sobre a pele como também sobre a placa ungueal); Unhas Espessas (unhas grossas ocasionam pressão sobre a pele ao mesmo tempo em que a pele também pressiona lâmina ungueal). Convexidade exagerada da lâmina ungueal
Traumatismo: é causado por: Tropeções; Quedas de objetos sobre a unha; Corte incorreto da unha feito com tesouras ou alicates, que causam lesões. Pressão ou Traumatismo na pele ou ambas ao mesmo tempo, provocam um maior afluxo sangüíneo para o local, o que propicia um adelgaçamento da pele do sulco ungueal e conseqüente ruptura da mesma, facilitando assim a penetração de bactérias. Com a contaminação através das bactérias, surge inflamação e posterior infecção com secreção purulenta o que origina o crescimento de granulação exuberante (granuloma piogênico ou carne esponjosa) avermelhada e dolorosa, que é composta por pequenos vasos capilares que recobre o sulco ungueal, projetando- se sobre a lâmina ungueal. Essa granulação é muito sensível e quando tocada rompe e sangra facilmente.
No traumatismo o quadro clinico apresenta-se com maior rapidez pois existe, quase sempre, o rompimento da pele do sulco ungueal, seguido de inflamação e infecção.
Há varias formas de resolver-se o problema da onicocriptose dos pododáctilos. Na Podologia usa-se remover a parte encravada (espiculaectomia).
Retira-se no máximo 5% da lâmina ungueal comprometida. Imersão dos pés em banhos emolientes e uso de antibióticos ou antiflamatórios são inúteis. É necessário remover a espicula que está causando a infecção e a dor.
Procedimento podológico é feito primeiramente um inspeção cuidadosa do pé onde se procura identificar a causa da podopatia, e a pesquisa de mais dados sobre a saúde do paciente, se já fez tratamento, medicamentos utilizados, antecedentes familiares (alergia a medicamentos, diabetes...etc).Digitopressão: compressão efetuada com os dedos, provocando isquemia localizada, é possível averiguar a microcirculação dos pés. E avaliação da sensibilidade protetora plantar utilizando-se de monofilamento para, posteriormente tomar-se medidas terapêuticas. Essa intervenção não é um processo cirúrgico. A Legislação Brasileira não permite ao Podólogo fazer cirurgias ou prescrever medicamentos injetáveis ou de uso interno.

Técnica podológica
A intervenção deve ser praticadas com instrumentais rigorosamente afiados, esterilizados e descartáveis. A intervenção é feita sem anestésico injetável. O Podólogo experiente possui técnica aperfeiçoada no manejo dos instrumentais cortantes, o que faz com que não se exija esforço para o desbastamento, propiciando assim menos risco de dor e ferimentos. Essa técnica faz com que a dor seja amenizada durante a intervenção. Faz-se assepsia em todo o pé. Faço uso de emoliente líquido (soro fisiológico morno c/ emoliente). Em seguida, remoção da espícula (pedaço de unha) que esta causando a dor e/ou infecção. Se houver sangramento (hemostasia) usa-se fibra de alginato de cálcio e sódio promovem a hemóstase.
Atenção: Não utilizar bastões para coagulação de sangue, a não ser que se tenha um para cada cliente. Os bastões podem ser dissolvidos em pequeno frasco com SF e usado com contonetes.

Curativo
É feito curativo usando-se PVPI ou colagenase ou clorafenicol ou mupirocima ou sulfato de neomicina ou fibra de alginato de cálcio....etc. Usa-se mecha de algodão, cimento cirúrgico, gases ou silicone para separar a lâmina ungueal do granulação exuberante.. Para acelerar a cicatrização, pode-se aplicar solução de nitrato de prata.
Obs: Produtos com componentes alcoólicos também não são indicados em lesões por serem citotóxicos, isto é, eles retardam o processo cicatricial por 'matarem' células de proliferação dos tecidos .É comprovado que a utilização de produtos que mantém a umidade da lesão auxiliam na proliferação celular e conseqüentemente na reparação tecidual. Se extrapolarmos para o fato de que 60% do organismo humano é composto por água, fica simples compreender a importância deste líquido para a proliferação celular.
O paciente deverá retornar para o segundo curativo após 48 horas, e assim sucessivamente até o desaparecimento completo da infecção. Posterior à cicatrização, se necessário, prepara-se órtese para a correção da lâmina ungueal (onicoórtese), para completa correção da mesma.
Para pessoas de alto risco, como exemplo diabéticos ou portadores de problemas circulatórios, solicita-se prévias avaliação e autorização médica por escrito.
A Onicocriptose quando tratada a tempo e sob orientação de um PODÓLOGO especializado é facilmente reprimida. Procedendo desta maneira estará evitando-se riscos incômodos, faltas ao trabalho, angústia e dor.
O Podólogo atualizado e especializado em onicoórtese. Serve-se de aparelhos metálicos com mola ou fibras de memória molecular, que são coladas à sobre a lâmina ungueal e passam a fazer força de tração como uma alavanca, forçando a lâmina ungueal em um sentido contrário, corrigindo sua curvatura.
Outra forma para resolver um problema de Onicocriptose é através de técnicas de intervenções cirúrgicas feita na área Médica ou seja:
Técnicas baseadas na redução moderada da prega ungueal, quando a infecção surge de um só lado da unha: Incisão dupla, de modo que extirpem em um só bloco a borda ungueal com infecção, a parte encravada da placa ungueal e parte da matriz ( método do Dr. Du Vres,1944 ).
Técnicas de onicoectomia (extração total da lâmina em definitivo) geralmente quando apresenta um quadro gravíssimo (método Dr. Jansey, 1955).


Voltar